Saudações!
          E hoje tem estréia de coluna nova aqui no blog! Vou explicar direitinho como funciona, e tudo. Nos comentários, digam o que acharam, okay? Okay. ❤
       O objetivo dessa coluna é  dizer o que você está lendo, como uma tag semanal ou periódica de alguma forma. Nela, respondemos algumas questões simples e bem legais. 🙂 Como exemplo, e primeiro livro da coluna, vou falar sobre minha leitura de Frankestein, da autora Mary Shelley.

Página em que está: pág.65


Resumo do que é o livro: O livro conta a história de Victor Frankenstein, um rapaz que desde muito jovem mostrava grande curiosidade para o estudo do que chamamos de ciência. Procurava ler tudo que pudesse sobre ciências naturais ou biológicas, o que culmina numa cena que varia do milagre ao macabro: o jovem estudioso de frente à mesa onde passou meses e mais meses dando vida à uma criatura inanimada e “perfeita”. Ele descobriu o segredo da vida, e se esforçara para colocá-lo em prática numa criatura que considerasse a ideal. No entanto, assim que a criatura acordou, Victor percebeu que, na verdade, criara um monstro, e fugiu dele. Ele então estava arrependido de ter empreendido todo seu esforço naquilo que parecia ser uma arte até maligna, dando vida à seres mortos. Porém, quando o leitor é apresentado ao monstro que Victor criou, percebe que há um limite meio vago entre o que é ser um verdadeiro monstro. A sociedade tem sua própria forma de construir seus monstros.


Expectativas para o desenrolar da história: Estou gostando bastante, e acredito que tudo melhorará ainda mais agora que o criador encontrou sua tão odiada criação. A história tomou caminhos que eu não imaginava (já que não havia tido contato com Frankenstein antes, nem em filmes ou desenhos animados), e tornou-se um terror mais psicológico do que outro tipo. Ansiosa para ver o que acontece com Victor e sua criação! 


Uma música: Quando o sol bater na janela do seu quarto – Legião Urbana

Acho que a letra da música tem a “cara” da criatura que Victor criou, haha. Só conseguia pensar nela enquanto lia o “monstro” narrar sua história. (E, sim, gente, eu só ouço mpb mesmo, então dá licença, haha)


Um momento (pode ser um quote ou uma foto legal com o livro):

“- Somos criaturas brutas, apenas semi-acabadas quando nos falta alguém mais sábio, melhor do que nós mesmos, para ajudar-nos no aperfeiçoamento da própria natureza, débil e falha.”



Uma palavra ou frase que define o livro: Humano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s