Saudações!
                Estão prontos para mais uma resenha? O livro da vez é Lola e o garoto da casa ao lado, um chick-lit bastante comentado nesses últimos meses… Confiram o que achei!
Lola e o Garoto da Casa ao Lado Autora: Stephanie Perkins
Editora Novo Conceito
282 páginas

Sinopse: A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.

Lola e o Garoto da casa ao lado é mais um dos chick-lits escritos pela queridíssima Stephanie Perkins, também autora de Ana e o Beijo Francês. Com uma linguagem leve e narrativa dinâmica, a Stephanie nos traz um romance clichê fofo e lindo de ser lido. Confesso que demorei bastante para engatar na leitura, e até cheguei a pensar que acabaria odiando o livro… Porém, depois da página 50, o livro me pegou de vez! Apesar de Lola não ser uma das melhores obras do gênero, também passa longe de ser a pior, mesmo com a sua historia extremamente previsível e inicio de livro meio chatinho.

“Era uma vez uma garota que conversava com a lua. E ela era misteriosa, era perfeita […]. Na casa ao lado vivia um garoto.”

                Lola é uma garota esquisita que vê o modo de se vestir como uma espécie de cosplayer diário. Todos os dias ela se transforma em alguém diferente, apesar de continuar sendo exatamente ela mesma: louquinha, divertida e alto-astral. Com o namorado que todas gostariam de ter, pais super legais, uma vida tranquila enquanto passa seus dias montando seus visuais estranhos… A vida de Lola era quase perfeita! Porém, há uma coisa que, certamente, acabaria com todo o bom humor e paz dela: o retorno dos irmãos Bell à casa ao lado. E não é exatamente isso que acontece? rs’
                No inicio, o medo, ódio – ou seja lá qual o nome do sentimento de Lola pelos seus vizinhos -, chega a parecer meio doentio… Não nos é explicado exatamente o que fez com que Lola quisesse tanto evitar os irmãos gêmeos Bell; isso, vamos descobrindo com o decorrer da narrativa. A verdade é só uma: nossa protagonista maluquinha já fora perdidamente apaixonada por Cricket Bell, mas sofrera de uma grande desilusão amorosa, anos antes. Agora que Cricket e sua irmã estão de volta à vizinhança, Lola começa a ver seus antigos sentimentos aflorarem de novo; ou, sejamos mais sinceros, a paixão que a Dolores – ou Lola – sentia pelo irmão nerd Bell nunca se foi. E é ai que está o problema! Quem nossa Lolinha verdadeiramente ama: seu namorado-super-descolado-e-cantor-maluco-de-rock, o Max; ou Cricket Bell?

“É fácil falar de coisas que odiamos, mas às vezes é difícil explicar exatamente por que gostamos de alguma coisa.”

                O mais agradável de toda essa iminente história, por certo, são as personagens. Apesar de todo o clichê e estereótipos que você lê nas páginas, dá para perceber um tipo de “humanidade” naquelas personagens. Enquanto você vai dirigindo o ódio para Calliope, irmã de Cricket, ou ainda para o Max, é impossível não acabar adorando o Cricket (ah… Cricket *suspiros*) e os amigos da Lola. E os pais da mocinha, então? Nem se fala! Foi um tanto surpreendente – mais pelo fato de eu nunca ter visto em nenhum livro – perceber que Stephanie jogou com essa questão de homossexualidade e criação de filhos em um chick-lit. Os pais de Lola são uns amores, muito adoráveis, porém, não deixam de ter o pulso firme que todo pai possui. Lola até brinca um pouco numa parte do livro, quando diz que ter dois pais homens não significa que um irá aliviar mais a coisa, fazendo o papel de “mãe” da relação… muito pelo contrário, ter dois pais significa que a preocupação masculina com a filha é algo que vem em dobro! rs’

“Valorizam demais o que é perfeito. Perfeição é um tédio.”

                Apesar do livro ser bem clichê e ter um final bastante previsível, a leitura é agradável e vale para um divertimento sem compromisso. Como eu disse, não é um dos melhores chick-lits, porém, também não chega perto de ser o pior… Lola e Cricket reserva muita fofura para os leitores; não tem nem como não se apaixonar pelo casal! Haha.

“A vida é curta demais para sermos a mesma pessoa todos os dias.”

Nota: 8.0

15 comentários em “Resenha | Lola e o garoto da casa ao lado (Stephanie Perkins)

  1. Eu gostei bastante da leitura. É um livro mais para “bobinho”, mas tem uma história bem leve e divertida e um romance doce.
    Eu concordo que o livro é lotado de clichês, mas achei que os personagens até que fugiram bastante disto em suas personalidades e estilos.
    bjs

    Curtir

  2. Quando saiu esse livro eu achei: ah não.
    E realmente não me interessei, mas li uma resenha há um mês falando bem e agora a sua e ainda pretendo ler o livro.
    Adoro o fato dela se vestir como quer e estar nem ai.

    Curtir

  3. Excelente resenha! Parabéns!!

    Esse livro não combina com o meu estilo, é muito leve eu acho.
    rsrsrs
    Não me imagino lendo esse livro, mas gostei da forma como se referiu ao livro, você é bem convincente.

    Abraços!!

    Curtir

  4. Como sempre ótima resenha!
    Eu leria esse livro, acho que você sabe, adoroo Chick lit, e esse é diferente por causa da abordagem e da idade da protagonista. Os que eu li eram de mães de família!
    Gostei dos pais dela serem dois gays rsrsrs deve ser muito bom !
    Não sei quando, mas um dia que ele custar 10 reais eu compro!
    Beijos Nai

    Curtir

  5. Você não é a primeira pessoa que vejo falando que demorou para engatar na leitura, preciso me lembrar disso quando eu for ler. Estou super empolgada para ler, provavelmente vou amar, eu não deveria me empolgar tanto, não quero me decepcionar.

    Curtir

  6. De fato Lola foi é um livro que desejo muito, o enredo da historia me chamou bastante atenção e é bem atual, alem do que os personagens são lindos Lola parece ser bem divertida. Tambem gostei de Max (seu fofo)! Enfim nao preciso disser que quero ler o livro e que ele ja esta na minha lista.

    Curtir

  7. Desde o lançamento de “Anna e o Beijo Francês”, tenho vontade de ler algo da Stephanie Perkins.
    Adoro chick lit por geralmente ter uma narrativa mais leve e divertida. E acho que isso não falta em “Lola e o Garoto…”. Só a descrição de como a Lola se veste, já dá pra imaginar o quão divertido deve ser. Como já tenho esse livro, lerei em breve.

    @_Dom_Dom

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s