Saudações!

                Enfim, aqui está a resenha de Um Porto Seguro, de Nicholas Sparks! Quem já leu o livro, ou deseja ler, pode dizer nos comentários. ^^
 Um Porto SeguroAutor: Nicholas Sparks
Editora Novo Conceito
414 páginas

Sinopse: Quando uma mulher misteriosa chamada Katie aparece repentinamente na pequena cidade de Southport, na Carolina do Norte, questionamentos são levantados sobre seu passado. Linda, mas discreta, Katie parece evitar laços pessoais formais até uma série de eventos levá-la a duas amizades relutantes: uma com Alex, o viúvo, com um coração maravilhoso e dois filhos pequenos, a outra com sua vizinha muito franca, Jo. Apesar de ser reservada, Katie começa a baixar a guarda lentamente, criando raízes nessa comunidade solícita e tornando-se próxima demais de Alex e de sua família. No entanto, quando Katie começa a se apaixonar, ela se depara com o segredo obscuro que ainda a assombra e a amedronta: o passado que a deixou apavorada e a fez cruzar o país para chegar no paraíso de Southport. Com o apoio simpático e insistente de Jo, Katie percebe que deve escolher entre uma vida de segurança temporária e outra com recompensas mais arriscadas… e que, no momento mais sombrio, o amor é seu único refúgio.



” Nos momentos mais difíceis, o amor é o único refúgio.”

O estilo de Nicholas já é bem conhecido, mesmo para aqueles que nunca leram um livro dele. É só olhar nas prateleiras das livrarias, que você logo vê uns 5 ou 6 livros do autor com histórias bem parecidas, beirando o romance, drama e… verão? rs (Brincadeira). Porém, por isso mesmo que fiquei com um pé atrás quando cogitei a ideia de ler esse livro. Já sabia mais ou menos o que me esperava, e estava com medo dos exageros sentimentalistas que o autor sempre propõe em suas obras. Resumo de história: eu estava certa.
                 Tudo começa com Katie, uma jovem muito bonita que vai parar numa cidade minúscula do interior dos EUA. Sempre bastante reservada e esforçada no trabalho, ela logo chama a atenção de todos… Inclusive de Alex, um homem viúvo e dono de um mercadinho local. Porém, Alex logo notou que havia algo de estranho em Katie. Apesar de muito bonita, ela andava sempre pálida, como se não se alimentasse bem, era arredia com as outras pessoas e chegava até mesmo a olhar para os outros com um toque de pavor nos olhos. Ela tinha problemas, e eles não podiam ser pequenos, pensava o homem. Entretanto, ele decidiu que se aproximaria e a ajudaria como podia, fazendo isso bem aos poucos, até que se descobriu totalmente apaixonado pela jovem. E ela também.

“É assim que a vida funciona. Na maior parte do tempo, nada é fácil. Temos simplesmente que tentar fazer o melhor que pudermos.”

                Na verdade, o comportamento distante de Katie tem um bom motivo, que vai nos sendo apresentado no decorrer da leitura. Ela está fugida do marido, um homem controlador e violento, que costumava bater bastante nela. Alex logo descobriu isso também. O problema, realmente, está no fato de que o marido de Katie é totalmente, completamente, absolutamente maluco (e psicopata e desequilibrado e neurótico…)! Mesmo estando Katie fugida há mais de 6 meses, o medo de ser encontrada por ele era muito grande, já que o mesmo era investigador da polícia e possuía um grande dom de perseguir os suspeitos. Apesar desse pavor constante, ele não é totalmente o foco do livro. O romance entre Katie e Alex ganha diversas cenas, entre jantares românticos, encontros no parque, na praia, e etc; com direito, é claro, àqueles famosos discursos de amor já bem clichês, apesar de fofos e sempre perfeitos, já comuns ao autor Nicholas S.

“-Por que você está falando essas coisas? – Porque tenho que acreditar que é possível. É a única coisa que me resta.”

                A história estava muito boa, mas o autor pareceu pecar em uma coisa importante: as personagens. Apesar de bem desenvolvidas, é inquestionável que elas são bem tendeciosas, seguindo aquele velho padrão de bem e mal. Ou seja, Alex e Katie, apesar dos problemas, são pessoas super boas, perfeitas, inculpáveis de qualquer crime que seja; já no outro extremo, o marido de Katie, o Kevin, é um homem mau, que utiliza da violência sem motivos, controlador e desequilibrado. É algo que combina com romances clichês, mas que não cola comigo (rs).
                Engraçado dizer que a personagem que obteve o desenvolvimento que mais gostei, durante todo o livro, foi logo a vilã – o tal do Kevin. Apesar dele agir como um verdadeiro monstro, percebemos que a profissão dele (que envolve depurar cenas de crime de assassinato) influenciou bastante em sua personalidade, chegando ao ponto de transformar Kevin numa pessoa perigosamente bipolar. Isso é bastante visível no final da narrativa, quando ele tinha “momentos de lucidez” em meio à sua própria loucura, e já não sabia o que estava fazendo. No fim, é isso mesmo, não consigo considerar o vilão como sendo verdadeiramente um vilão.

“As pessoas escondem a verdade porque tem medo.”

                Pois é, o livro foi exatamente o que esperei que fosse, o que não quer dizer que ele é ruim. O estilo dramático do autor permanece com toda a força nesse livro, e o final (perdoe-me se isso soar como um spoiler) foi realmente bom, apesar de visível já no meio do livro. A narrativa, apesar de várias cenas desnecessárias aqui e ali, é fluida e delicada; além de ter diversas mudanças de foco entre as personagens principais, que são Katie, Alex e Kevin. Recomendo o livro para quem gosta e simpatiza com a história do autor; porém, se você espera algo novo e diferente das historias anteriores do Nicholas, acho melhor desistir.
Nota: 8.0

“Eu realmente acredito que, embora o amor possa ferir, ele também seja capaz de curar.”

Extras

            Um filme baseado no livro e dirigido por Lasse Hallström sairá nas telinhas ainda nesse inicio de ano, com lançamento previsto para 12 de abril. Só pela capa do filme e escolha de atores, já percebemos que as personagens principais perderam um pouco de suas características físicas descritas no livro, como os cabelos prematuramente grisalhos de Alex e o fato de Katie estar com os cabelos pintados de castanho. 

14 comentários em “Resenha | Um Porto Seguro (Nicholas Sparks)

  1. Olá, Arine
    Você sempre muito sincera em suas resenhas. Eu gosto disso. Um amigo acabou de comprar este livro para presentear a irmã dele. Acho que ela irá gostar.
    🙂
    Em partes, concordo com você que as histórias do Sparks são um tanto repetitivas, apesar de só ter lido 'Querido John', notei através de leituras de outras sinopses que o autor não inova muito no estilo.
    Parabéns pela resenha mais uma vez. Beijos!

    http://ymaia.blogspot.com.br/

    Curtir

  2. me falaram tanto nesse autor que fiquei curiosa em ler… mas queria ler Diário de uma paixão, pq já vi o filme e achei muito lindo… então imagino que o livro também seja… mas as sinopses dos livros dele me chamaram a atenção… esse é uma boa dica pra começar a ler Sparks, não??? 😀

    Curtir

  3. Se tem uma coisa que eu amo é livro e se tem outra coisa que eu amo é o Nicholas Sparks porque ele sabe como fazer um romance, é um dos melhores livros que eu já li de autoria dele, um dos que mais me prendeu e que eu li mais rapidamente. Uma verdadeira paixão pelas historias dele. Adorei seu blog, já está nos meus favoritos.

    Meu blog: http://www.umcontainer.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s